segunda-feira, 15 de março de 2010

VIDA NO VENTRE

"VIDA NO VENTRE" um documentário da National Geographic

Fonte: http://www.apfn.com.pt/documentario


video



INICIO
Apresentação do documentário (2:12 )

video

FECUNDAÇÃO
Conheça a viagem do espermatozóide até ao óvulo e a sua fecundação (3:39)

video

OS NOSSOS GENES
Conheça os cromossomas que contêm o nosso código genético, porque somos todos diferentes? (2:52)

video

6 SEMANAS
O início da gravidez. O desenvolvimento do bebê até à 6 semana (10:23)

video

DE 6 A 8 SEMANAS
Conheça o desenvolvimento das 6 às 8 semanas, o que é a placenta e quais as suas funções. Porque podemos enjoar no início da gravidez? (4:28)


video

9ª SEMANA
Como está o bebê à 9ª semana. O sistema nervoso. (2:23)


video

10ª SEMANA
A 1ª ecografia. Conheça o que é a ecografia, como funciona e para o que serve. Veja imagens incríveis das novas ecografias a 4 dimensões. Os gêmeos. (6:25)


video

11ª SEMANA
Como está o bebê à 11ª semana. O reflexo de andar.


video

12ª SEMANA
Como está o bebê à 12ª semana. Os órgãos sexuais. (1:35)


video

16ª SEMANA
Como está o bebê à 16ª semana. Inicia o seu processo de percepção do espaço à sua volta. O reflexo de agarrar. (5:31)


video

DA 18ª à 24ª SEMANA
O desenvolvimento das 18 às 24 semanas. O sistema digestivo. O reflexo de pestanejar. A 2ª ecografia. (3:58)


video

24ª SEMANA
Como está o bebê à 24ª semana. Os bebês prematuros. Os sentidos ganham vida. O paladar, o olfato e a visão. (7:17)


video

25ª SEMANA
Como está o bebê à 25ª semana. A continuação do desenvolvimento dos sentidos. A cor dos olhos. A audição. (7:10)


video

26ª SEMANA (I Parte)
Como está o bebê à 26ª semana. O reflexo do susto. O reflexo de chuchar. (3:37)


video

26ª SEMANA (II Parte)
O coração do bebê, já é possível ouvir através da barriga da mãe. Como as emoções da mãe afectam o bebê. Os soluços do bebê. Os pulmões. (5:32)


video

26ª SEMANA (III Parte)
Veja uma operação realizada dentro do útero com vista à resolução de um problema no diafragma do bebê. (3:23)

video

28ª SEMANA
Como está o bebê à 28ª semana. A memória, o bebê já está a guardar recordações. (6:17)


video

33ª SEMANA
Como está o bebê à 33ª semana. O nosso bebê já sonha. (3:46)


video

38ª SEMANA
Como está o bebê à 38ª semana. Os últimos dias dentro do útero. (2:05)


video

O PARTO
O parto. "O seu nascimento marca o início da sua viagem no mundo, mas ela já percorreu um caminho incrível durante a sua odisseia de 9 meses dentro do ventre" (7:39)

Quarentena


Incrível essa foto!
(retirada do blog
http://img61.imageshack.us/img61/223/dsc9630.jpg)


Quarentena

Quarentena ou resguardo são nomes populares para designar o puerpério, etapa da vida da mamãe que começa depois do nascimento do bebê. Além dos cuidados com o novo membro da família, a mamãe precisa também cuidar da sua recuperação pós-gestação.

O puerpério pode ocorrer até a sexta ou oitava semana pós-parto, período onde os órgãos reprodutivos voltam totalmente ao seu estado normal.

A região onde a placenta se encontrava ficam pequenas feridas que se cicatrizam durante o puerpério. Se esse período não for respeitado, as feridas não cicatrizam e a mulher corre o risco de ter uma infecção e febre.

As atividades do dia-a-dia devem ser retomadas aos poucos; a mamãe precisa descansar. Dormir é essencial para evitar cansaço e irritação. Isso não quer dizer que necessite ficar deitada a quarentena inteira. Os exercícios que a mulher faz para sentar, levantar e andar estimulam a musculatura abdominal e isso é bom para voltar a forma anterior.

A dor é o termômetro do esforço da mamãe. É a própria mulher quem vai impor o limite na sua vida diária. Normalmente, em 45 dias a mulher já faz os serviços de casa sem dificuldade. Exercícios físicos são proibidos. Nadar e caminhadas somente depois de 45 dias. Ginástica e corrida depois de dois meses e para os esportes coletivos deve-se esperar três meses.

O ato de dirigir um carro, pisando nos pedais, requer o trabalho da musculatura abdominal e do períneo (região entre o ânus e a vagina), prejudicando a cicatrização, e isso impede a mulher de dirigir no primeiro mês pós-parto.

Outro impedimento no primeiro mês é o sexo. o útero pós-parto fica na altura do umbigo e o cólo está pérvio (aberto), com eliminação de lóguios (secreção pós-parto). Por isso, pode haver infecção puerperal ascendente (endometrite – inflamação do endométrio) e ainda machucar a incisão abdominal que está em cicatrização.
Os vasos do útero onde antes ficava a placenta estão abertos e há risco de contaminação e infecção durante o sexo. O atrito do pênis durante a penetração também causa dor, além de repouso absoluto devido a cirurgia, pois foram cortadas varias camadas de pele que necessitam de tempo para a cicatrização interna e externa. O sexo deve começar devagar e gradualmente.

terça-feira, 9 de março de 2010

Amamentação - Mastite


Nos ultimos dias venho sofrendo com fortes dores nos seios, sinto mal estar e dores musculares como se eu estivesse gripada. Meu leite não está saindo, embora meus seios estejam super inchados... É A TAL DA MASTITE!
Amamentar é lindo, mas é sofrido quando começam as complicações.
Agora estou medicada, tomando antibióticos e antinflamatórios, a coisa parece que vai melhorar.

Pensando em ajudar outras mulheres, segue um resuminho do problema.
Mulheres, grávidas, mamães... previnam-se!
Amamentar deve ser um ato de amor, não de dor.

Abraços

O que é mastite?
A mastite é uma inflamação das glândulas da mama causada pelo acúmulo de leite e acontece com maior freqüência no pós-parto, principalmente na primeira gestação. A mastite pode ocorrer em uma mama ou nas duas e as características são mamas vermelhas, endurecidas, doloridas e quentes.

A forma de evitar a inflamação é não permitir o acúmulo de leite nos ductos. Nesses casos, as mamães devem realizar uma massagem nos seios no chuveiro quente após a mamada. Para retirar o leite excedente, basta fazer uma massagem na auréola e no restante da mama com a mão espalmada. Depois, deve-se segurar o seio com o polegar em cima do bico e o indicador embaixo e fazer um movimento de ‘aperta e solta’.

A ginecologista Andréa Godoy Lopes alerta que esse método é correto apenas para quando ainda não há a mastite no seio, realizando um exercício profilático, ou seja, de prevenção. “Quando existe inflamação ou infecção, a mulher não deve utilizar temperatura alta sobre as mamas, pois aumenta o processo inflamatório”.

O tratamento da mastite é feito normalmente com antiinflamatórios, antibióticos e compressas de gelo. Qualquer método deve ser indicado exclusivamente pelo médico que acompanha a mamãe e o bebê.

Muita gente confunde a mastite com o ingurgitamento, porém uma coisa não tem nada a ver com a outra. O ingurgitamento é um processo natural caracterizado pelo endurecimento das mamas. É o famoso empedramento. A mastite, por outro lado, vem à tona quando as placas de leite não são desfeitas e muito menos ordenhadas. Dessa forma, as áreas afetadas pelo problema ficam vermelhas e doloridas. A mulher sente dores musculares semelhantes às provocadas por gripe, febre e náuseas. Nesse caso, a única saída é tomar medicamentos sob a orientação do médico.

Mulher


Mulher
Semente...
SER-mente...
SER que faz gente,
SER que faz a gente.
Mulher
SER que dá conta,
que vai além da conta,
que multiplica,
divide, soma e subtrai, sem perder a conta,
sem se dar conta, de que esse século foi seu parto,
na direção de seu espaço,
de seu lugar de direito e de fato,
de seu mundo que lhe foi usurpado e que agora é por ela ocupado.
MULHER...
Esse SER florado,
esse SER adorado,
esse SER adornado,
que nos poem em um tornado,
nos deixa saciado e transtornado,
que nos faz explodir e sentir extasiado.
SER admirado...
PARABENS MULHER !!!
Não pelo oito de marco,
nem pelo beijo e pelo abraço,
nem pelo cheiro e pelo amaço.
Mas por ser o que és...
Humus da humanidade,
Raiz da sensibilidade,
Tronco da multiplicidade,
Folhas da serenidade,
Flores da fertilidade,
Frutos da eternidade...
Essencia da natureza humana.
Parabéns!

domingo, 7 de março de 2010

O segredo do casamento



A estatística informa que o percentual de casais que se separam após o nascimento do primeiro filho vem crescendo, que a harmonia entre marido e mulher cai em crise quando se tornam pais e mães. Definitivamente eu não estou no percentual das estatísticas. Depois que nossa filha nasceu, a relação de amor, união e admiração entre mim e meu amor cresceu, cresceu ao ponto de eu poder afirmar que estou muito, mas muito mais apaixonada por ele de que no dia em que nos casamos. Ele me surpreende a cada dia com a sua ternura de pai, é prestativo como nunca foi e tem um brilho de apaixonado nos olhos que só uma coisinha linda como a nossa bonequinha é capaz de dar.

Pensando nisso... irei postar hoje o texto extraído do blog "Refletir e sentir" que achei muito interessante...

(http://refletiresentir.blogspot.com/2010/03/casamento-duraduro.html)


CASAMENTO DURADOURO

O segredo do casamento não é a harmonia eterna. Depois dos inevitáveis arranca-rabos, a solução é ponderar, se acalmar e partir de novo com a mesma mulher. O segredo, no fundo, é renovar o casamento! Isso exige alguns cuidados e preocupações que são esquecidos no dia-a-dia do casal. De tempos em tempos, é preciso renovar a relação.

De tempos em tempos, é preciso voltar a namorar, voltar a cortejar, voltar a se vender, seduzir e ser seduzido. Há quanto tempo vocês não saem para dançar? Há quanto tempo você não tenta conquistá-la ou conquistá-lo como se seu par fosse um pretendente em potencial?

Há quanto tempo não fazem uma lua de mel, sem os filhos… Sem falar nos inúmeros kg que se acrescentaram a você, depois do casamento. Mulher e marido que se separam perdem 10 kg num único mês, por que vocês não podem conseguir o mesmo?

Faça de conta que você está de caso novo. Se fosse um casamento novo, você certamente passaria a freqüentar lugares desconhecidos, mudaria de casa ou apartamento, trocaria seu guarda-roupa, o corte de cabelo.

Tudo isso pode ser feito sem que você se separe. Vamos ser honestos: ninguém agüenta a mesma mulher ou marido por 30 anos com a mesma roupa, o mesmo batom, com as mesmas piadas.

Se você se divorciasse, certamente trocaria tudo, que é justamente um dos prazeres da separação. Quem se separa se encanta com a nova vida, a nova casa, um novo bairro, um novo círculo de amigos. Não é preciso um divórcio para ter tudo isso.

Basta mudar de lugares e interesses e não se deixar acomodar. Isso obviamente custa caro e muitas uniões se esfacelam porque o casal se recusa a pagar esses pequenos custos. Mas, se você se separar, sua nova esposa vai querer novos filhos, novos móveis, novas roupas, e você ainda terá a pensão dos filhos do casamento anterior.

Não existe essa tal “estabilidade do casamento”, nem ela deveria ser almejada. O mundo muda, e você também, seu marido, sua esposa, seu bairro e seus amigos. A melhor estratégia para salvar um casamento não é manter uma “relação estável”, mas saber mudar junto.

Você faz isso constantemente no trabalho, por que não fazer na própria família? Portanto, descubra o novo homem ou a nova mulher que vive ao seu lado. Brigas e arranca-rabos sempre ocorrerão: por isso, de vez em quando, é necessário casar-se de novo, mas tente fazê-lo com o mesmo par.


Dicas para uma amamentação sem dor


"Problemas comuns no período pós-parto incluem desconforto no bico do seio (ardência), sangramento na ponta, ingurgitamento mamário, ductos obstruídos, mastite (infecção no seio) e rachaduras no bico do seio. Exceto quando há suspeita de infecção, o cuidado com estas afecções é basicamente orientação, e o aleitamento deve prosseguir."

Causas de Irritação e Sensibilidade nos Mamilos Durante o Período do Aleitamento

O prazer que uma mãe sente ao amamentar seu filho pode deixar de existir, caso os mamilos comecem a doer. Este incômodo é muito freqüente em mães que amamentam pela primeira vez. Mulheres de pele clara são mais propensas a sofrer de sensibilidade dos mamilos. A sensibilidade dos mamilos pode causar muita dor, podendo fazer com que a mãe desista de amamentar. Entretanto, existem muitas opções que podem ser utilizadas para tratar a sensibilidade mamilar excessiva, sem que o aleitamento seja interrompido.

Seus mamilos podem ser machucados quando a posição que seu bebê adota para mamar não é a correta. Ou, ainda, os mamilos podem doer quando o bebê não se adapta bem quando você começa a amamentá-lo. O tamanho e a forma de seus mamilos também pode afetar esta adaptação, assim como a forma da boca de seu filho. A forma com que seu bebê suga pode ser a causa da dor nos mamilos. Uma outra possível causa de sensibilidade dos mamilos pode ser uma infecção produzida por um fungo no mamilo ou uma infecção nos seios.

Como Diminuir a Sensibilidade nos Mamilos

As seguintes sugestões podem ajudar no tratamento de seus mamilos sensíveis, levando a melhora após alguns dias:

· Diminuição da ansiedade. Procure relaxar - se houver uma antecipação de que você irá sentir dor ao amamentar, esta ansiedade será capaz, por si só, de ser uma cauda de aumento da dor. Escute música ou faça exercícios de relaxamento antes da amamentação. Outras dicas seriam: tome sucos naturais; de oito a 10 copos grandes de líquido (300 a 360 ml cada) devem ser consumidos diariamente.; umedeça os bicos dos seios com água morna; tome uma ducha morna. Estas sugestões ajudam você a relaxar e estimulam o reflexo de descida do leite. Seu bebê tenderá a sugar com mais força quando este reflexo não for bom, causando aumento da dor - a sucção muito forte fará com que seus mamilos doam ainda mais.

· A mulher que amamenta deve usar um sutiã confortável, sem linhas de plástico, para evitar o estiramento dos ligamentos que sustentam as mamas.

· A mãe deve massagear seu seio, a área do bico e a aréola para promover a descida do leite e aumentar a protuberância do bico. O bebê é sustentado por ambos os braços em cima de um travesseiro e trazido ao seio. Uma pequena quantidade de leite é espremida na boca do bebê; quando sua boca abrir, a aréola e o bico são inseridos, O bico deve ser colocado no palato duro para estimular a sucção.

· Inicie a amamentação pelo seio menos sensível. A princípio, seu bebê suga com mais força para alimentar-se porque está com fome. Geralmente, esta força para sugar diminui ao mamar no outro seio. Quando seus mamilos tiverem melhorado, mude sempre de mamilo ao começar cada amamentação. Isto conservará equilibrada a produção de leite em cada um dos seios. Quando ambos os mamilos estão sensíveis, comece sempre com o seio que foi oferecido por último na mamada anterior.

· Enquanto os mamilos estiverem sensíveis, troque a posição para amamentar para providenciar que uma parte diferente de seu mamilo seja espremida em cada mamada. Mas sempre mantenha seu bebê olhando para seus seios.

· Seu bebê pode ter dificuldade de adaptar-se ao seu mamilo quando seus seios estiverem cheios e endurecidos. O uso de compressas morno suaviza os mamilos e a aréola (a parte escura que circula o mamilo). Outra opção é a retirada de um pouco de leite antes de iniciar a amamentação. Isto estimula o reflexo de ejeção do leite, e também amacia o mamilo, facilitando com que o bebê se adapte melhor ao mamilo.

· Verifique a posição que seu filho usa para mamar. Coloque 4 dedos debaixo do seio e o polegar por cima. Suavemente, aperte seu mamilo pressionando com o polegar e o dedo indicador. Com a boca de seu bebê completamente aberta, coloque a maior parte possível da aréola e mamilo no interior da mesma. O mamilo deve ficar no centro da boca do bebê. Quando o bebê suga apenas a ponta do mamilo, você ficará com estes sensíveis, rachados ou sangrando.

· A posição do bico do seio na boca do recém-nascido é importante na prevenção de ardência e de rachaduras. A gengiva do bebê deve ficar de O,5 a 1,0 cm atrás da junção do bico/aréola, para liberar o leite dos seios. O lábio inferior e a língua de seu filho podem ser a causa da sensibilidade em seus mamilos, portanto puxe para baixo o lábio inferior certificando-se de poder observar sua língua. Fique atenta para que o lábio inferior de seu filho não seja sugado dentro da boca durante a amamentação.

· Você pode querer alimentar seu filho a cada 2 horas durante 5 a 10 minutos de cada vez até que seus mamilos melhorem. Retorne ao horário habitual assim que sentir que não há mais sensibilidade.

· Coloque seu dedo mínimo ("mindinho") dentro da boca de seu filho para interromper a sucção quando o bebê houver terminado de sugar o seio. Isto ajuda a prevenir a sensibilidade dos mamilos.

· Utilize apenas água para lavar os seios. Não utilize sabão, álcool e outras substâncias para efetuar a limpeza dos seios ou mamilos.

· Após a amamentação, seque os mamilos com um pano limpo e macio. Após alimentar o bebê, você pode deixar os seios descobertos e expostos ao ar por alguns minutos. Faça isto deixando baixadas as abas de seu sutiã de lactação. Não utilize um secador de cabelos para secar os mamilos - o ressecamento exagerado de seus mamilos, irá piorá-los invés de melhorá-los.

· Após secar os mamilos, uma camada de vaselina pura deve ser aplicada sobre eles, com a finalidade de prevenir o seu ressecamento exagerado. Após cada amamentação, aplique uma nova camada de vaselina. Algumas mães aplicam vitamina E líquida sobre os mamilos para melhorá-los e prevenir o ressecamento.

· Troque os absorventes de seus seios a cada vez que estiverem molhados.

Caso Não Haja Melhora

· O bebê pode apresentar aftas na boca, causadas por fungos. Estes podem ser a causa de uma infecção nos mamilos. Verifique a boca de seu bebê e procure por placas brancas (seu bebê também pode apresentar irritação na região das fraldas causada por estas aftas). Esta infecção também pode ser a causa das dores que você sente em nos seios, durante e após a amamentação. Os médicos receitarão para você e para seu bebê medicamentos para tratar este quadro infeccioso.

· Geralmente a irritação desaparece após a 20ª amamentação. Nesta época seus mamilos deverão ter se tornado mais resistentes, e você provavelmente estará amamentando sem sentir dor. Algumas vezes a dor dos mamilos piora antes de melhorar. Isto é mais freqüente quando a pele da mãe for muito clara.

· Caso seus mamilos não melhorem, fale com seu médico.

· Pode ser necessário utilizar uma bomba elétrica para extrair o leite, caso você não se encontre em condições de amamentar o bebê devido à sensibilidade e irritação mamilar. A retirada artificial de leite é uma forma rápida e fácil de esvaziar seus seios e aumentar a produção de leite. O uso da bomba para os seios dá tempo para que estes melhorem. Para mais informações a respeito destas bombas, pergunte a seu médico.

Quando Procurar o Médico

O médico deverá ser consultado se a mãe apresentar:

- Calafrios ou temperatura acima de 37ºC
- Dores de cabeça ou musculares
- Dor ou vermelhidão em um ou ambos os seios. Isto significa que a mãe pode estar com uma infecção nos seios e irá necessitar de tratamento.
- Os mamilos apresentem vermelhidão, dores em pontada ou ardor, ou caso ocorram dores em pontada nos seios durante e após a amamentação. Estes sinais e sintomas podem indicar que talvez você tenha uma infecção causada por fungos. É necessário utilizar medicamentos para tratar esta infecção.
- Caso a dor nos mamilos seja tão intensa a ponto de impedir a mãe de estimular o reflexo de ejeção (descida) do leite.


SEJA BEM VINDA, GIOVANA!!!



Começa agora uma nova vida, com um sentimento de carinho e união que só um bebê tão desejado poderia trazer.

Acaba de nascer uma luz
Uma luz de novos planos
De novos momentos.
Essa luz está cheia de encantos,
Cheio de magias,
Cheio de vida.
Está luz é o fruto de dois corações,
É o mais novo ser do mundo
Um ser lindo
Tão pequeno...
Anjinho...
Que veio para ensinar o que é amor.
Anjinho
Que veio para amar e ser amado.
Anjinho
Cheio de glória, cheio de Benção.
A partir de agora
Esse Anjinho vai aprender como saber viver no amor
Aprender os passos para chegar até a Felicidade.
Sejam bem vindos seus guardiões que acabaram de nascer
Seja bem vinda essa luz que acaba de chegar
Seja bem vinda, Giovana!


“Como é que vamos te agradecer, Senhor da vida, com que palavras?
Obrigado por seus olhos e por suas mãos tão perfeitas,
Obrigado por seus pés e por sua pele tão fina,
Obrigado por seu corpo e por sua alma tão delicada,
Em Tuas mãos de ternura nós a depositamos para que cuides dela
e lhe faças carinhos e a enchas de doçura.
Pai Santo e querido, põe um anjo ao seu lado para que impeça a passagem da doença e
de todo o mal.
Guie pelas sendas da saúde e do bem estar.
Que o bem, a paz e a Bênção acompanhem-na todos os dias de sua vida.
Amém.”


:)

sábado, 6 de março de 2010

As 10 maiores surpresas da vida após a chegada do seu bebê


1. O relacionamento do casal muda (para melhor ou para pior)
2. O seu tempo some
3. Você muda de cara e de corpo (tanto a mãe quanto o pai!)
4. Você mergulha num mundo que é só seu
5. Você é mais forte do que imaginava
6. Você morde a língua e comete os "erros" que criticava
7. Sua relação com os amigos também muda
8. Tem horas em que você simplesmente quer fugir
9. Você sente o maior amor do mundo
10. Quando nasce um bebê, nasce também uma mãe

Por mais que você se prepare durante 9 meses, não tem jeito: a vida como pai e mãe é sempre surpreendente.
Ter um bebê em casa é muito desafiador. Ele pode te fazer chorar de tristeza e de tanto rir, vai fazer você esquecer tudo aquilo que precisava tanto fazer, mas que agora pode ficar pra depois. A vida que você tinha antes vai simplesmente desaparecer, sumir... E aí ele vai fazer surgir uma vida nova, muito mais complicada que a de antes, mas muito mais bonita (talvez até a mais completa).
1. Sempre ouvi dizer que o relacionamento de um casal muda com a chegada do primeiro filho - pode ser para melhor ou para pior. Dizem que os conflitos aumentam drasticamente, a intimidade emocional e física despenca. Mas comigo e com meu amor está sendo bem diferente: Os novos desafios só fizeram bem a nós dois, estamos mais unidos, mais cúmplices e ainda posso dizer com convicção que amo meu marido mais que antes e que a sensação de sermos agora pai e mãe, além de marido e mulher, cresceu a admiração e o respeito entre nós.

2. Um banho demorado e tranqüilo, com direito a sessão de cuidados com a pele, ouvir música, ver meu programa favorito... Tudo isso agora virou um luxo. Mãe não tem tempo para isso! Esse comecinho é bem corrido e exaustivo. Lidar com as mamadas, sonecas, cólicas e fraldas ocupa todo o meu tempo livre, todo mesmo!!! Dizem que depois isso muda, desacelera... Vamos ver...

3. Uma das coisas que mais muda depois do bebê é a mudança física que pega a gente de surpresa: quadris enormes, barriga nada lisinha, pés maiores, seios inchados e gorda. Mas os pais muitas vezes também mudam, alguns costumam ganhar peso junto com a mamãe.

4. Você passa a participar de uma nova sociedade. De uma hora para outra estranhos sorriem para você e mulheres puxam o papo na fila do supermercado. Você começa a conversar com os vizinhos do prédio, fala com as mamães que vê pela rua, etc. Impressionante!

5. É incrível ver do que sou capaz. Nunca imaginei que conseguiria me virar como está sendo, dormir tão poucas horas por dia e comer menos ainda do que eu imaginava conseguir. Embora eu fraqueje de vez em quando, me sinto - sim - uma pessoa mais forte.

6. Sempre jurei que nunca ia deixar minha filha dormir na minha cama, ficar tempo demais no colo, essas coisas... Mas depois que a Giovana nasceu já comecei a perceber que as coisinhas que eu recriminava, eu acabo fazendo... A gente até pode ter convicções sobre como criar uma criança, até chegar a nossa e a gente percebe que ela é uma pessoinha cheia de vontades e personalidade, que nem sempre se encaixam nas nossas "certezas". Aquilo que era um "erro" de repente vira a única coisa que funciona para a família e você percebe que não há muito de certo ou errado nessa história de ter filhos.

7. Outra mudança: os amigos. O afastamento em relação aos amigos que não têm filhos é inevitável. É difícil para uma pessoa solteira ficar ouvindo papos sobre o cocô do bebê ou se ele está mamando direito (é difícil escapar dessa conversa, afinal seu universo gira em torno disso). Acredito que as amizades fortes e verdadeiras sobrevivem depois do afastamento inicial, mas sei que vai ser preciso ter paciência.

8. É pura realidade dizer que existem um monte de tarefas chatas para fazer depois que nasce seu bebê, somadas as noites em claro, a frustração de não saber nem por que afinal das contas ele chora tanto, etc. Então conte até dez, se afaste se for preciso, deixe o nervoso passar e siga em frente, sabendo que todo mundo sente vontade de fugir de vez em quando.

9. Todas as emoções adquirem um novo nível de profundidade. Tudo fica mais intenso. Assistir ao jornal que mostra problemas com crianças vira uma tortura. Ver o bebê dormir já traz lágrimas aos olhos. A saudade toma uma dimensão estranha: algumas horas longe do seu filho parecem uma semana!

10. Já ouvi muitas vezes isso "quando nasce um bebê, nasce também uma mãe". É a mais pura verdade. Eu nasci, nasci de novo para um mundo totalmente diferente. Ser mãe é diferente de tudo o que já vivi até aqui. Sinto um amor que nunca senti antes, sou mais paciente (coisa que jamais fui), agora tenho mais medos e ao mesmo tempo estou mais corajosa. Pela minha filha sou capaz de tudo.

A gente pode...

Causa e efeito...


Quantas vezes bloqueamos a espontaneidade das crianças, esquecendo-nos do quanto isso nos doeu na nossa infância…
Quantas vezes exigimos mais maturidade dos adolescentes sem
lembrarmos o que passamos quando nos exigiram isso…

Quantas vezes nos queixamos dos colegas de trabalho e não nos perguntamos se eles também têm queixas sobre nós…
Quantas vezes nos irritamos nas ruas sem percebermos que nossa irritação também causa mal aos outros…

Quantas vezes queremos implantar paz na família expressando-nos aos berros…
Quantas vezes esperamos dos nossos parceiros o que não estamos dispostos a dar-lhes…

Quantas vezes esperamos dos nossos filhos o que não demos aos nossos pais…
Quantas vezes esperamos dos nossos pais o que não damos aos nossos filhos…

Quantas vezes perdemos a paciência com idosos esquecendo que a velhice chega para todos…
Quantas vezes repelimos animais e nos comportamos como seres irracionais…

Quantas vezes pedimos aos amigos coisas que não gostaríamos que eles nos pedissem…
A maior parte da vida deixamos a Vida passar sem senti-la no coração…

Texto extraido do blog http://refletiresentir.blogspot.com

quinta-feira, 4 de março de 2010

A primeira saída de casa


Ir ao médico pode ser coisa simples, mas não pra uma mãe de primeira viagem que teve que levar sua filha ao médico pela primeira vez.
A preparação para sair de casa agora é bem diferente da nossa antiga rotina. Agora o ritual de banhar, vestir e sair mudou para banhar + limpar + vestir + mamar + arrumar sacola e depois banhar + me vestir pra sair.
Giovana banhada, fralda limpinha, vestida com roupinha de sair, bolsa arrumada e bebê conforto a postos... depois foi hora da mamãe aqui. Tudo isso demorou mais de uma hora.
Ai que frio na barriga quando entrei no elevador indo pra garagem. Nunca havia saído com a minha bebezinha de casa antes, que medo! No caminho, só tinha olhos pra ela, que se mexia muito com o balanço do carro... e eu pensava “porque será que ela não acorda com o carro balançando, mas acorda com um alfinete que cai no chão do quarto durante a madrugada?”.
Chegando no local da consulta, fui fazer a ficha dela na recepção. Que gracinha! “Paciente Giovana, sala 2”, soou engraçado pra mim... rsrs.
Durante a consulta mais aflição. Ai que pavor de ver a médica amassando a barriguinha da Giovana enquanto ensinava como fazer massagem para cólica. Mais aflição ainda quando me pediu pra segurar firme os bracinhos dela enquanto examinada o ouvidinho. Quanto choro! Doía em mim.
Mas acabou tudo bem. Minha filha é saudável e isso me faz feliz.
Criança chorando o remédio é peito. Foi o que eu fiz (ou tentei fazer) quando terminou a consulta. Fui até o fraldário e percebi que eu estava totalmente despreparada! Como se faz pra dar mama a uma criança com uma camisa sem botões na frente? Que falta de preparo! A missão de dar mama e fazer minha filha calar virou um caos!
Desisti. Melhor ir pra casa.
Então foi assim. Na próxima consulta vou tentar ser mais experiente no assunto.
Oito dias de vida e ela já me ensinou mais do que se pode imaginar... e isso é só o começo.
bjs

segunda-feira, 1 de março de 2010

OS PRIMEIROS DIAS


Os primeiros dias de vida da minha pequena princesa estão sendo incríveis...
Os 1º, 2º e 3º dia no hospital foram bem tranqüilos. A recuperação da cesárea não poderia ter sido melhor. Nada daquele terrorismo todo que me disseram de que mulher operada não consegue andar, sente dor no primeiro banho, não pode falar porque se enche de gazes, não pode isso, não pode aquilo, etc, etc e etc. Nadica de nada de tudo isso. Não senti dor alguma, tonteira, coceira, enfim... o dia seguinte foi ótimo, só curtindo e lambendo a cria. Só!
Já em casa a rotina tem sido a mesma: peito, choro, peito, choro, peito, choro.... hahahaha Mas a paixão é tão grande que tudo se torna uma delicia, não sobra espaço pra cansaço, nem stress, nem nada disso... só amor, só amor, só amor!!! Um amor enooooooooooorme!!! O amor pelo meu marido também se multiplicou, e como... minha vida é só amor! Ele tem sido um paizão... e um grande amor mais do que tudo.
Ela é a coisa mais linda do mundo! Uma benção de Deus. Foi tão desejada... nada poderia ser diferente.
Está sendo fantástico, lindo, uma experiência incrível! A vida com ela é diferente, tudo mudou, eu mudei...e tudo pra melhor... o resto é só resto, nada mais importa, só a minha filha.

O GRANDE DIA



Foram meses de muitas mudanças e de uma espera que parecia sem fim...
Algumas pessoas que passaram por essa experiência me disseram que a emoção no grande dia seria grande, mas nada se compara ao que realmente é!
Minha filha nasceu! Agora é diferente. Por mais que eu tenha me preparado e me sentido mãe desde o primeiro dia de gestação, agora definitivamente é diferente... Minha filha realmente nasceu! Minha filha... minha filha... não canso de repetir “minha filha”... Agora é real, ela é a minha filha... Vocês entendem?
Como dizia o rei: “são tantas emoções”... Emoções novas, sensações de medo e ansiedade ao extremo, horas que passavam devagar...
Tudo parecia normal, mas desde que levantei da cama pela manhã eu já sabia que o dia estava diferente. Eu estava mais cansada, mais ansiosa, mais nervosa... a medição de glicose não estavam indo nada bem e haja preocupação. Nesse dia eu não quis que ninguém me acompanhasse na ultrassom marcada para aquele mesmo dia, preferi ir só, assim ninguém iria me atrapalhar caso eu quisesse passar direto para o consultório da minha obstetra, eu precisava dizer pra ela que eu não estava nada bem. Mas nada bem eu fiquei na ultrassom, fui mandada para o pronto atendimento com glicose 161mg e pressão 14/10. Nessa hora eu tive a certeza: “realmente é hoje”...
Na parte da tarde levei o resultado dos exames feitos no pronto atendimento pra minha obstetra, eu já sabia que eu iria ouvir algo do tipo “não podemos esperar”. Pensamento concretizado: “Não vamos esperar pra segunda feira, você quer que seja hoje ou amanhã?” não pensei duas vezes: “Hoje, claro!”. E assim foi feito...
Do consultório direto pra maternidade. Ai que nervosismo! Que medo...
Mas deu tudo certo... e minha princesa está aí!
Seja bem vinda ao mundo, minha pequena indefesa. Estou aqui para fazer de tudo para que nada de ruim te aconteça. Te protegerei para o resto da minha vida.





Foram meses de muitas mudanças e de uma espera que parecia sem fim...
Algumas pessoas que passaram por essa experiência me disseram que a emoção no grande dia seria grande, mas nada se compara ao que realmente é!
Minha filha nasceu! Agora é diferente. Por mais que eu tenha me preparado e me sentido mãe desde o primeiro dia de gestação, agora definitivamente é diferente... Minha filha realmente nasceu! Minha filha... minha filha... não canso de repetir “minha filha”... Agora é real, ela é a minha filha... Vocês entendem?
Como dizia o rei: “são tantas emoções”... Emoções novas, sensações de medo e ansiedade ao extremo, horas que passavam devagar...
Tudo parecia normal, mas desde que levantei da cama pela manhã eu já sabia que o dia estava diferente. Eu estava mais cansada, mais ansiosa, mais nervosa... o controle da glicose não estava indo nada bem e haja preocupação. Nesse dia eu não quis que ninguém me acompanhasse na ultrassom que estava marcada, preferi ir só, assim ninguém iria me atrapalhar caso eu quisesse passar direto para o consultório da minha obstetra, eu precisava dizer pra ela que eu não estava nada bem.
Mas nada bem mesmo eu fiquei na ultrassom, fui mandada para o pronto atendimento com glicose 161mg e pressão 14/10. Nessa hora eu tive a certeza: “realmente é hoje”...
Na parte da tarde levei o resultado dos exames feitos na emergência pra minha obstetra, eu já sabia que eu iria ouvir algo do tipo “não podemos esperar”. Pensamento concretizado: “Não vamos esperar pra segunda feira, sua pressão é 18/7... você quer que seja hoje ou amanhã?” não pensei duas vezes: “Hoje, claro!”. E assim foi feito...
Do consultório direto pra maternidade. Ai que nervosismo! Que medo... nunca havia entrado num hospital pra nada. E haja choro... muito choro!
Mas deu tudo certo... e minha princesa está aí!
Seja bem vinda ao mundo, minha pequena indefesa. Estou aqui para fazer de tudo para que nada de ruim te aconteça. Te protegerei para o resto da minha vida.